segunda-feira, 26 de setembro de 2011




Desenho corações desde sempre. Enamorei-me, há muito, de forma redonda, das linhas que se precipitam e se unem num ponto comum. Pinto-os em cadernos, em folhas em branco, em livros de leitura e na areia da praia.
Porém há uma diferença. O coração - o meu -, que motiva o rabiscar de todos os outros, agora é rubro de paixão e está cheio de ti.

1 comentário:

Álvaro disse...

http://alvarinhoportugues.blogspot.com/